quarta-feira, 4 de maio de 2016

O Jeremias publica é fofoqueiro... "Ninguém jamais pensou em comprar Champanhe!" Agora pro portal da REDE GLOBO, aí a versão é outra...

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR A NOTÍCIA

Prefeitura lança licitação para compra de 32,4 mil garrafas de vinho importado

Gasto pode chegar até R$ 1.458.000 conforme levantou a reportagem

Prefeitura já se envolveu em polêmicas com gastos em diárias e salgadinhos
Foto: Reprodução /Reprodução
A prefeitura de São Francisco de Assis, na Região Central, lançou uma licitação para aquisição de gêneros alimentícios e, entre os itens descritos, estão garrafas de vinhos importados. O pregão, na modalidade de registro de preço, prevê aquisição de, no mínimo, 12 mil garrafas. O máximo, 32,4 mil. O município têm 19.495 habitantes, ou seja, é uma garrafa para cada habitante e sobrariam 12.905.
Conforme o edital, o vinho adquirido precisava ser carta nevada, uva Macabeo, Zarello e Parellada, com envelhecimento de 12 meses em barricas de carvalho, teor alcoólico de 12%, 750 ml, tipo cava, com origem espanhola.
O outro é cava-seleccion ou cordon rosado, com uvas Trepat e Garnacha, “que harmoniza com carnes suaves, arroz e massa”, tipo brut, com origem espanhola.
Não foi informado em quanto o produto estava orçado. No entanto, a reportagem consultou três distribuidoras de bebidas e os preços das garrafas variavam de R$ 33 até R$ 45. O gasto mínimo da prefeitura seria de R$ 396 mil. O máximo, R$ 1.458.000. O orçamento anual do município varia entre R$ 10 milhões e 15 milhões.
A assessora jurídica da prefeitura, Luciele Saragoso, explica que os itens do edital são elencados por meio de um profissional de nutrição da prefeitura.
“Existe uma tabela, e ela é referendada por uma nutricionista da prefeitura. O prefeito não analisa item por item porque ele tem um profissional habilitado para fazer isso. E o edital sempre vai ser assinado por ele porque é ele quem assina os editais de todas as licitações”, explica.
De acordo com o procurador jurídico da prefeitura, Claro Cáceres, as propostas das empresas interessadas em fazer o fornecimento de produtos chegaram ao departamento jurídico nesta quarta-feira (4). Ele afirma que vai avaliar o documento e explica como funciona o processo.
“Se adquire muitos produtos e há alguns que não serão comprados em razão da não necessidade e em razão até da disponibilidade financeira. De repente consta no registro alguma coisa e não se tem dinheiro para comprar”, diz.
O prefeito Horácio Benjamim da Silva Brasil (PP), por meio da assessoria, disse que a intenção inicial era colocar um espumante simples, comum, “para, ao final do ano, agraciar os servidores públicos”.
De acordo com o Tribunal de Contas do Estado (TCE), um gasto assim, feito para aquisição desse tipo de produto, provavelmente esbarraria na legislação.
Mais diárias do que dias úteis
A prefeitura pagou para um assessor, em julho de 2015, 27 diárias, sendo que o mês teve 22 dias úteis. O adicional no salário foi de mais de R$ 2 mil.

Conforme apurado pela reportagem, das 27 diárias, 25 foram referentes à estadia no interior do município. Um decreto municipal prevê que os servidores tenham direito a diárias quando estiverem trabalhando fora da zona urbana da cidade por mais de um dia.
Um levantamento feito por vereadores apontou que foram pagos mais de R$ 100 mil para 16 assessores em viagens para o interior do município entre 2014 e 2015.
A Câmara Municipal instaurou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o pagamento de diárias na prefeitura. O Ministério Público (MP) também lida com o caso. A prefeitura abriu um procedimento interno para investigar.
R$ 7 mil em salgadinhos
A prefeitura de São Francisco de Assis, em 2015, gastou quase R$ 7 mil em salgadinhos. O valor corresponde a 12,5 mil pastéis.

"É que nem na casa da gente, quando chega alguém, a gente serve um chimarrão, serve alguma coisa, convida para almoçar. E na prefeitura é a mesma coisa, quando vem alguém importante, alguém de destaque, a gente recepciona. Estava orçado em torno de R$ 16 mil", disse na época o prefeito Brasil.
GAÚCHA Sm

9 comentários:

  1. Os espumantes e os vinho vão ser pra tomarem outubro no velório da upa

    ResponderExcluir
  2. O prefeito quer tomar champanhe porque não Vai tapa os buracos da cidade

    ResponderExcluir
  3. Com qual candidatos com o horacio de prefeito e a sonia de vice acho que não tem.

    ResponderExcluir
  4. É lamentável o que vem acontecendo, justificar o injustificável, defender o indefensável... No momento em que se coloca um produto para cotação é óbvio que se pretende adquirir. Contra fatos não há argumentos. É uma pena, não pensar no povo... no funcionalismo...nos professores principalmente, tão desrespeitados, que terão um mísero aumento de 3 e pouco por cento. Tristeza, decepção... enquanto uns trabalham para sobreviver outros querem “ freixenet” é o fim...

    ResponderExcluir
  5. Só existe uma palavra pra descrever esse mandato do prefeito Horácio, vergonhoso.

    ResponderExcluir
  6. O Sr.Prefeito está com a doença do Lula não sei,não vi,não é meu, não comprei essa doença tá pegando cuidado.

    ResponderExcluir
  7. O Prefeito tem que se preocupar em dar aumento de salário para seus funcionários não em espumante para final de ano isso sim é importante.

    ResponderExcluir
  8. Qm não tem candidato é a upa todos já derrotados, é ademar e ernani e mais 3000 no lombo

    ResponderExcluir
  9. ta igual a eleição para governo do estado , Tarso e ana amelia lemos se degladiando e o gringo chegou por fora e levou na moita , kkk vao se preocupando com upa e pp e verao oque vai acontecer , kkkkkkk

    ResponderExcluir

Poderá gostar também.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...